Canto

 

HORÁRIO

FORMADOR

TERESA CARDOSO DE MENEZES

É considerada pela crítica como: “ (...) uma das mais talentosas cantoras portuguesas actuais, detentora de grande plasticidade vocal e expressiva, sentido dramático e óptimo nível técnico” . Cristina Fernandes – PÚBLICO – Lisboa, 14–12-2002 

“Teresa Cardoso de Menezes é, a muitos títulos, um caso de excepção na vida musical portuguesa (...) está para ficar, como uma presença relevante, por mérito próprio (...)” 
- Rui Vieira Nery - Univ. Évora - 18-10-2007 - Do Livreto do CD Upon a Star

Foi aluna da Elizette Bayan e concluiu o Curso de Canto na Escola Superior Música de Lisboa na classe de Helena Pina Manique, Olga Prats e Nicholas McNair. Em Master-Class estudou com Gundula Janowitz, tendo preparado variado repertório com o Maestro João Paulo Santos no T.N.S.Carlos. É licenciada em Gestão de Empresas pelo ISCTE, Lisboa. Em 1993 foi premiada no Concurso Nacional de Canto Luisa Todi.

Depois de se estreiar em Estrasburgo em 1990, em concerto com a orquestra da FMAC, actuou em diversos locais desde o Teatro Nacional .S. Carlos e Fundação C. Gulbenkian, a Festivais de Verão em Portugal, Dinamarca ... ao Festival Internacional de Música de Macau e trabalhou com orquestras como a Royal Philarmonic Orchestra of London, Orquestra da Ópera Nacional da China, Orquestra Gulbenkian, Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra Nacional do Porto, etc.

Foi convidada a cantar em óperas como: Carmen (Frasquita e Micaela) de Bizet, Viúva Alegre (Valencienne) de F. Lèhar, L’Enfant et les Sortilèges (Fogo e o Rouxinol) de Ravel, Il Matrimonio Segreto (Elizetta) de Cimarosa, Rigoletto (Gilda) de Verdi, Parsifal (Flor) de Wagner, Ariadne auf Naxos (Echo) de R. Strauss, Manfred de Schumann, Don Giovanni (D.Anna) de Mozart, Suor Angelica (Suor Genovieffa) de Puccini, La Bohème (Musetta) de Puccini. O seu repertório operático inclui ainda Don Pasquale (Norina) e L’Elisir D’Amore (Adina) de Donizetti, entre outros.

Cantou ainda sob a direcção de: Michael Zilm, M. Corboz, Giuliano Carella, Marko Letonja, Renato Palumbo, Leonardo de Barros , Vasco P. Azevedo, Nicholay Lalov, e actuou ao lado de nomes como: Elena Obraztsova, Anna Tomowa-Sintow, Sumi Jo, Miriam Gauci, Vincenzo Bello, Luís Miguel Cintra, Elizabete Matos, Fernando Gomes.

Actuou em concertos de Árias de Ópera com a Orq. Gulbenkian e direcção de M. Ivo Cruz no CAE da Fig. Fóz e com a Orq. Algarve e direcção de Álvaro Cassuto na inauguração do Festival de Música do Algarve; em Musicais Americanos no Teatro Municipal S.Luiz com o espectáculo “De Regresso à Broadway” de João Pereira Bastos, interpretando canções do West Side Story, The Sound of Music, My Fair Lady, Show Boat, Les Miserables; e ainda a estreia nacional da Cantata Gli Amori di Teolinda, com a Orq. Sinf. Portuguesa sob a direcção de Roberto Polastri.

Em 2008 destaca o recital de Liszt com Os Sonetos de Petrarca, ao lado de António Rosado. Em 2009 estreiou o concerto Melodias do Mundo - da Ópera ao Fado com Rão Kyao, Francisco Sassetti, Pedro de Castro e Andreia Marques e no CCB, a ópera contemporâneaDer Kaiser von Atlantis de Viktor Ullmann e direcção de Jean-Sébastien Béreau. Em 2010 estreiou em teatro o seu espectáculo de comédia musical Di Gioia ed Amore com pianista João Vale. Em 2011 canta na Ópera inédita de Alexandre Delgado "A Rainha Louca" no CCB. Em 2013 canta Sonho de uma Noite de Verão no CCB no concerto de encerramento dos "Dias da Música" com a Orq. Sinf. Portuguesa. Em 2015 canta na Gala de Ópera - Concerto de Inverno com o Orquestra da GNR no Teatro Nacional de São Carlos.

Para além das actuações ao vivo transmitidas pelas RDP – Antena 2, a sua arte é bem apreciada nos seus três trabalhos discográficos, inéditos em Portugal. Em 2000 o CD Je Veux Vivre de Árias de Ópera e em 2002 CD Alleluia de Árias Sacras, onde acompanhada pela Orquestra Metropolitana de Lisboa, o Coro Voces Caelestes e direcção de M. Ivo Cruz, demonstra uma especial versatilidade vocal e dramática desde o período Barroco ao Contemporâneo, passando por Bach, Haendel, Mozart, Verdi, Puccini, Gounod, R.Strauss, Rachamninov, A.Lloyd Webber, entre outros.

Alleluia foi considerado pelo Jornal Expresso (L. Leiderfarb 4.1.2003) como o 3º Melhor Disco do Ano de 2002 , atingindo o Top da Fnac em Música Clássica (Dez. 2002)

Em 2007 lança o 3 º CD Upon a Star – Enchanted Songs em Duo com a Harpista Andreia Marques, incluindo obras de: Vivaldi, Liszt, Schumann, Obradors, Sérgio Azevedo e canções como Summertime, La vie on rose, Amazing Grace, When you wish upon a star .